Afetividades em fluxo
: Um debate sobre a importância da língua de acolhimento 
para a sociabilidade do migrante


Affectivities in flow: A debate on the importance of the host country’s language for the migrant’s sociability

Lara Noronha Xavier
Universidade de Brasília

ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-3875-6925

DOI: https:/doi.org/10.48006/2358-0097-6207

Publicado em 23 de dezembro de 2020
First published: 23 Dec 2020

Edição | Issue

v6, n1-2, 2020

Palavras-chave

Migração; Língua de Acolhimento; Afeto; Exclusão; Sociabilidade.

Resumo

A presente pesquisa visa compreender como a questão linguística pode se tornar tanto uma barreira quanto uma ferramenta de agregação. Dessa forma, a partir de autores como Anderson (2006) e Fanon (2008) entende-se como a formação da identidade nacional está diretamente ligada ao sistema de exclusão pela linguagem, se associando com Fanon (2008) quando o autor afirma as dimensões da fala dos migrantes antilhanos localizados na França e a presença do pètit-nègre. Ao pensar a língua como ferramenta de agregação, trago para o debate a minha pesquisa de campo dentro do projeto “PROAcolher: Português para migrantes e refugiados em situação de risco”. Analiso como transformar o que era excludente em agregador, e o papel das trocas afetivas nesse processo.


Keywords

Migration; Language, Affection; Exclusion; Sociability

Abstract

The present research aims to understand how the language issue can become both a barrier and a tool for aggregation. Thus, based on authors such as Anderson (2006) and Fanon (2008), it is observed how the formation of national identity is directly linked to the system of exclusion through language, following Fanon (2008) in his reflections on the speech of Antillean migrants located in France and the presence of the petit-nègre. In thinking about language as a tool for aggregation, I bring to the debate my field research within the project “PROAcolher: Portuguese for migrants and refugees at risk”. I analyze how to transform what was excluding into aggregating, and the role of affective exchanges in this process.

Referências / References

ANDERSON, Benedict. 2006. Imagined Communities: Reflections on the Origin and Spread of Nationalism. Londres: Verso.

BARBOSA, Lucia Maria; RUANO, Bruna. 2016. “Acolhimento, Sentidos e Práticas de ensino de português para migrantes e refugiados, na Universidade de Brasília e na Universidade Federal do Paraná.” In: José Antônio Peres Gediel e Gabriel Gualano de Godoy (org.). Refúgio e Hospitalidade. Curitiba: Kairós Edição. pp. 321-337.

FANON, Frantz. 2008. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA.

FERREIRA, Giselda. 2017. “O português como língua de acolhimento e interação: a busca pela autonomia por pessoas em situação de refúgio no Brasil.” Cadernos de Pós-Graduação em Letras 1(17): 118-134.

FOUCAULT, Michel. 1982. “The subject and power.” Critical Inquiry 8: 777-795.

GROSSO, Maria José. 2010. “Língua de acolhimento, língua de integração.” Horizontes de Linguística Aplicada 2(9): 61-77.

HALL, Stuart. 1992. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora.

MOSQUERA, Juan José; STROBAUS, Claus. 2006. “Afetividade: A manifestação de sentimentos na educação.” Educação, ano XXIX, 1(58): 123-133.

RIBEIRO, Marinalva; JUTRAS, France. 2006. “Representações sociais de professores sobre afetividade”. Estudos de psicologia, 23(1): 39-45.