Chamada de Trabalhos para v.7 n.1 (2021)

Prazo de envio : 30 de abril de 2021

Novos Debates: Fórum de Antropologia é uma publicação semestral da Associação Brasileira de Antropologia voltada a pesquisadores de todos os níveis de formação, desde a graduação até pesquisadores sênior. Ela busca ser um periódico de divulgação dinâmica de pesquisas em andamento e recentemente concluídas no Brasil, mas também com uma abertura importante a trabalhos desenvolvidos em outros países. Ao mesmo tempo, Novos Debates apresenta-se como um espaço crítico de discussão de questões teóricas, metodológicas e políticas contemporâneas caras à disciplina e aos grupos com os quais trabalhamos. Finalmente, Novos Debates toma para si o desafio de repensar a prática editorial acadêmica, buscando novos formatos no contexto das publicações eletrônicas.

Neste número, inauguramos novas seções: Pedagógicas, Ofício, Variações.

NOVAS SEÇÕES

Pedagógicas

Seção dedicada a artigos sobre ensino de antropologia e relatos de experiência apoiados por reflexões etnográficas e/ou teóricas a respeito da transmissão da disciplina dentro ou fora da sala de aula. As contribuições podem abordar práticas formais de ensino universitário da disciplina, assim como experiências de transmissão da disciplina em escolas, projetos de extensão e contextos diversos. Aceitamos artigos e ensaios, mas também dossiês com material produzido por estudantes que resultem de experiências pedagógicas inovadoras. Não se trata da publicação de artigos resultantes de disciplinas apenas, mas da publicação de material, devidamente apresentado e contextualizado, que contribua à reflexão sobre formas possíveis de ensino da antropologia.

Ofício

Recebemos artigos e relatos sobre a prática profissional da antropologia para além de instituições científicas e de ensino superior. Com a expansão e crescente profissionalização da disciplina, é cada vez mais significativa a presença de antropólogas e antropólogos em instituições públicas e privadas diversas, tais como órgãos públicos, ONGs e consultorias, além de sua atuação como profissionais autônomos em diferentes tipos de empreendimentos profissionais. Nesse contexto, convidamos colegas a refletir de modo qualificado sobre o papel da antropologia na construção de instituições, políticas públicas, debates públicos e mesmo outros campos de atuação centrais no mundo contemporâneo. O que tem a antropologia a oferecer a esses diferentes universos não acadêmicos e o que podem estes oferecer à pesquisa e ao ensino de antropologia na universidade? Aceitamos também contribuições sobre o ofício da antropologia na universidade, desde que dedicadas a considerações mais institucionais a respeito do campo da antropologia.

Variações

Desde o seu período embrionário, ao menos desde o século 19, a antropologia recorria a diferentes formas de registro e textualidade: desenhos, fotografias, notas de campo, diários de campo, ficção, poesia, exposições, etc. Apesar do texto científico ter se consolidado, a exemplo de outras ciências, como a forma de transmissão por excelência da pesquisa antropológica, essa diversidade de formatos sempre foi constitutivo do fazer antropológico pela sua potência criativa e sensibilidade etnográfica. Assim sendo, convidamos à submissão de contribuições em formatos menos usuais, indo desde expressões artísticas até experimentações tecnológicas, com o objetivo de produzir formas descentradas e críticas de pensamento etnográfico e teórico. Estamos abertos às formas mais diversas e inesperadas de contribuição.

SEÇÕES USUAIS

Novas Pesquisas

Convidamos estudantes em antropologia e áreas afins, de todos os níveis de formação, a enviar contribuições para a seção Novas Pesquisas. Aceitamos textos sobre pesquisas em desenvolvimento ou recentemente concluídas no quadro de formação acadêmica de seu autor. Tendo em vista que o objetivo dessa seção é fazer circular pesquisas em andamento ou recentemente concluídas, propomos o envio de textos curtos com uma apresentação sucinta e clara de suas pesquisas, apresentando: problemática, referencial teórico, metodologia e considerações sobre o campo. Espera-se que os textos articulem dados etnográficos (ou de arquivo) e teoria. Não aceitamos revisões bibliográficas ou a apresentação de projetos de pesquisas a serem ainda realizadas. . 

Fórum

A seção Fórum busca fomentar debates contínuos e abertos. Por isso, aceitamos reações de nossas leitoras e leitores a Fóruns de números anteriores. Eles devem responder às questões colocadas pelo Texto Problema ou a textos específicos do Fórum em questão. Os últimos números de Novos Debates contam com os seguintes Fóruns:
– Periódicos sob impacto: repercussões e perspectivas sobre o Qualis Referência
– Corpos, sensações e paisagens

Ensaios

Convidamos ainda os pesquisadores a enviar textos à seção Ensaios, que se abre a textos críticos sobre temas caros ao debate público atual (como a questão indígena, direitos sexuais, manifestações políticas, formação em antropologia, expansão do sistema universitário, políticas de saúde etc), debates sobre a constituição do campo antropológico ou textos ensaísticos a partir do campo de pesquisa.

Composições

Contamos com uma seção específica voltada à publicação de produções audiovisuais. Aceitaremos ensaios fotográficos e vídeos etnográficos ou sobre o campo antropológico. As autoras e autores podem indicar uma comentadora ou comentador para seu trabalho.

Resenhas

Aceitamos o envio de resenhas de publicações, exposições artísticas e etnográficas e de filmes recentes que sejam de potencial interesse à reflexão antropológica.

Entrevistas

Por fim, acolhemos entrevistas com pesquisadores, agentes públicos ou integrantes de movimentos sociais, que podem ser submetidas à apreciação editorial da publicação. Neste número interessa a Novos Debates entrevistas com antropólogos/as que tenham experiência de trabalho em órgãos públicos, ONGs etc. e que atuem ou tenham atuado em processos de reconhecimento de direitos territoriais. Por enquanto, aceitaremos entrevistas unicamente no formato de texto.

As contribuições devem atender rigorosamente às normas descritas em nossa página Regras para Submissões de Trabalhos