Etnografia fantasma: Considerações acerca de narrativas e experiências sobre seres intangíveis no Centro Histórico de São Luís

Ghosthly Ethnography: Considerations on narratives and experiences about intangible beings in the Historical Center of São Luís

Gabriela Lages Gonçalves
Universidade Federal do Maranhão

ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-9940-7630

DOI: https:/doi.org/10.48006/2358-0097-6202

Publicado em 10 de fevereiro de 2021
First published: 10 Feb 2021

Edição | Issue

v6, n1-2, 2020

Palavras-chave

Casas, Espíritos, Pessoas, Patrimônio, Relações

Resumo

Neste artigo reúno considerações sobre minha pesquisa de mestrado, realizada entre 2017 e 2019, que buscou enfatizar leituras, experiências e narrativas sobre os edificações históricas localizadas em São Luís- MA. A partir de três prédios públicos situados no Centro Histórico da cidade, realizei uma etnografia com os profissionais da vigilância dos imóveis históricos, interessada em caracterizar a presença de seres intangíveis naqueles lugares – visagens, assombrações, espíritos, fantasmas e suas formas de manifestações visuais, sonoras, olfativas ou sensoriais. Nesse sentido, registro neste texto como os vigilantes são impactados por suas vivências em trabalho e constroem relações de estranhamento ou familiaridade com a casa, ao mesmo tempo que mobilizam um circuito de narrativas sobre fantasmas no Centro Histórico de São Luís.

Keywords

Houses, Spirits, People, Heritage, Relations

Abstract

This article throws light on a series of notes written during my master’s research, carried out between 2017 and 2019, which addressed apprehensions, experiences and narratives about historic manors located in São Luís – MA. Starting from three public manors in the city’s Centro Histórico, an ethnography was carried out with buildings surveillances professionals in order characterizing the intangible being presences at those places – visions, hauntings, spirits, ghosts and their forms of visual, sound, olfactory or sensory manifestations. Thus, are registered in this text how the watchmen are impacted by their work experiences and how they build strangment or familiarity relationships along the house, besides they also they mobilize a narrative’s circle about ghosts in Centro Histórico of São Luís.

Referências / References

BLANES, Ruy; ESPÍRITO SANTO, Diana. 2014. “Introduction: on the agency of intangible”. In: Ruy Blanes e Diana Espirito Santo (Orgs.). The Social Life of Spirits. Chicago and London: The University of Chicago Press. p. 01-32.

CAMARGO, Fernando Monteiro. 2016. “Desenhando nas margens. Diário de campo visual de uma experiência etnográfica”. Cadernos de Arte e Antropologia 5(2): 103-107.

CARDOSO, Vânia Zikán. 2007. “Narrar o mundo: estórias do povo da rua e a narração do imprevisível”. Mana 13(2): 317-345.

GEERTZ, Clifford. 2008. “Uma descrição densa: por uma teoria interpretativa da cultura”. In: Clifford Geertz. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC. p. 3-24.

GONÇALVES, Gabriela Lages. 2019. “Entre visagens e casarões: considerações sobre formas de vulnerabilidade a partir dos vigilantes do Centro Histórico de São Luís”. Campos Revista de Antropologia 20(1): 122-133.

INGOLD, Tim. 2012. “Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais”. Horizontes Antropológicos 18(37): 25-44.

MALINOWSKI, Bronislaw. 1976. Introdução: Objeto, método e alcance desta investigação. In: Bronislaw Malinowski. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural. p. 21-38.

MARANHÃO. 1997. “Proposta de Inclusão do Centro Histórico de São Luís na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO”. Dossiê UNESCO. São Luís: Secretaria do Estado da Cultura do Maranhão.