NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

Novos Debates é um periódico voltado sobretudo a jovens pesquisadoras e pesquisadores, de todos os níveis de formação, mas aberto à participação de profissionais experientes. Ao visar este público, busca ser um periódico de divulgação dinâmica de pesquisas em andamento e recentemente concluídas no Brasil, mas também aberto a publicar trabalhos desenvolvidos em outros países. Ao mesmo tempo, Novos Debates busca ser um espaço crítico de discussão de questões teóricas, metodológicas e políticas contemporâneas caras à disciplina e aos grupos com os quais trabalhamos em nossas pesquisas e ações profissionais. Finalmente, Novos Debates toma para si o desafio de repensar a prática editorial acadêmica, buscando oferecer textos em diálogo com questões atuais e que possam ser trazidas para os cursos de graduação e pós-graduação no país. 

Novos Debates publica textos curtos com o intuito de conferir maior dinâmica à circulação de pesquisas em andamento e debates em voga nas arenas políticas no âmbito nacional e no internacional. Com efeito, essa característica apresenta-se como uma peculiaridade importante desta publicação, que une aspectos comuns a periódicos de divulgação científica com o espírito crítico e rigoroso próprio às publicações acadêmicas tradicionais. Ao mesmo tempo, busca uma inovação atualmente necessária no plano editorial acadêmico. 

Toda contribuição recebida para a Novos Debates será analisada pelo seu Conselho Editorial e pareceristas ad hoc, que emitirão parecer favorável ou contrário à publicação. 

Normas gerais de formatação

Fonte: Times New Roman. 
Tamanho: 12.
Espaçamento entre linhas: 1,5
Margens: 2,5 cm (acima e abaixo) por 3,0 cm (laterais).
Referências: A formatação das referências bibliográficas deverá seguir as normas da revista Vibrant. Ressaltamos que a perfeita adequação da formatação das referências será especialmente observada para a avaliação dos trabalhos recebidos. 
Formato do arquivo: Formato Word com extensões “.doc” ou “.docx”. PDFs e ODT não serão aceitos. O arquivo enviado está nomeado da seguinte maneira: “[NOME DA SEÇÃO] Título do Artigo”.
Identificação: O arquivo NÃO contém qualquer identificação do autor como nome, instituição ou e-mail. No caso de auto-citação, apagar a referência.

Normas específicas de formatação das seções

Seções Novas Pesquisas, Fórum, Ensaios, Pedagógicas, Ofício: Os materiais submetidos nessas seções devem conter um Resumo e um Abstract (em inglês OU espanhol OU francês) de até 250 caracteres cada (com espaços). Da mesma forma os materiais submetidos devem apresentar até 05 palavras-chave (português e traduzidos para mesma língua estrangeira do abstract). O texto deve possui no mínimo 10 e no máximo 20 páginas, sem contar as referências bibliográficas.

Na Seção Novas Pesquisas o material submetido deve conter problemática, referencial teórico, metodologia, considerações sobre o campo e bibliografia. Acima de tudo, devem apresentar boa articulação entre dados etnográficos (ou de arquivos, no caso de trabalhos em história da antropologia) e análise teórica. Textos focados em revisão da literatura ou em etapa de projeto não serão enviados à avaliação. 

Seção Resenhas: O texto deve possuir no mínimo 05 e no máximo 10 páginas, sem contar as referências bibliográficas.

Seção Composições e Variações: Os(as) autores(as) devem apresentar um texto preliminar contendo até 500 caracteres (com espaços) sobre o material submetido. Os(as) autores deve ainda indicar até 05 palavras-chave em portugues.

O material submetido para Seção Composição deve possuir no mínimo 10 e no máximo 15 fotos. O(a) autor(a) deve alocar uma foto por página de Word. Cada foto deve apresentar legenda individual contendo identificação da autoria e ano de realização de cada foto.

Já o material submetido para Seção Variações possui caráter mais livre e experimental para sua apresentação.

Normas para formatação de referências bibliográficas

As referências devem atender rigorosamente às normas abaixo. As referências devem ser apresentadas do modo mais completo possível, incluindo o DOI dos artigos, quando possível.

No texto, usar: (Lomnitz 1987:53)

Nas Referências Bibliográficas, ao final do documento, usar:

Livros
PEIRANO, Mariza. 2006. A Teoria Vivida: E Outros Ensaios. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Livros organizados
LIMA FILHO, Manuel; ABREU, Regina; ATHIAS, Renato. (Orgs.). 2016. Museus e Atores Sociais: Perspectivas Antropológicas. Recife: UFPE.

Capítulo de livro
VISVANATHAN, Shiv. 2008. “Hegemonía oficial y pluralismos contestatarios”. In: Gustavo Lins Ribeiro e Arturo Escobar. Antropologías del mundo. Popayán, Colombia: Diseño Grafico e Impresiones. p. 287-310.

Artigo
DAS, Veena. 1993. “Sociological Research in India: The State of Crisis”. Economic and Political Weekly 28(23): 1159-1161.

Tese
VIDAL, Lux. 1973. Put-Karôt (Xikrin), grupo indígena do Brasil Central. Tese de Doutorado em Antropologia Social, Universidade de São Paulo, São Paulo.